A Reforma da Previdência enviada ao Congresso Nacional pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL) é ainda mais dura para os/as trabalhadores/as do que a proposta anterior de Michel Temer (MDB). A constatação foi feita pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), que divulgou ontem uma Nota Técnica sobre a PEC 06/2019, cujas medidas penalizam principalmente as mulheres.

De acordo com o Dieese, “se comparadas com as regras atuais, as medidas propostas pelo governo exigirão mais sacrifício das mulheres do que dos homens”.

A reforma de Bolsonaro, se for aprovada, fará com que as mulheres trabalhem mais e ganhem menos. Elas serão as mais prejudicadas com o fim da aposentadoria por tempo de contribuição, imposição de idade mínima de 60 anos e aumento do tempo de contribuição de 15 para 20 anos.

“As mulheres serão, portanto, afetadas tanto pela elevação da idade mínima quanto pelo aumento do tempo mínimo de contribuição e, mais ainda, pela combinação desses requisitos”, informa a nota do Dieese.

Foto: Vlademir Alexandre.