Para o sertanejo, o dia dá boas vindas

no cheiro de amanhecer.

Quando a luz beija o solo,

já estão postos gibão, sela e ferradura,

cavalo e carroça já soam

chamando o alvorecer.

Existe uma vida que pulsa nos campos

— resistência e resignação

que, de tão cotidianas,

nem se sabe bem o que deve ser;

é coisa dita sem sentido,

estabelece mesmo é o fazer.

Um sentido que fortalece

nossa percepção das coisas.

Há mesmo um espaço silencioso

no diálogo com o universo do sertão.

É na observação que nossa percepção se aguça

e que o diálogo se estabelece;

é onde aprendemos a cada pequena nuance

e seus sinais, naturais ou humanos,

o sentido da resistência e da alegria

de ser do campo,

esse orgulho quase tímido,

tão acolhedor e cheio de um brilho

que vai nos invadindo pouco a pouco,

evolui no íntimo de cada um,

compartilhado como quase tudo

que se compara ao conviver.

Tudo brota no sertão;

se seco, brotam fé e desejo,

trabalho e obstinação;

se chove, consolida-se a esperança,

brotam planta e prontidão,

brotam no céu e brotam no chão.

Tudo se compõe na paisagem.

Tem elementos postos em primeiro plano

e ao primeiro olhar;

mas há muito a se perceber, só e apenas

se a gente se entrega à reflexão.

Não basta a paisagem óbvia,

precisa-se de uma busca

do que não está posto;

paisagem entra e sai da gente.

É neste sentido que coloco

um pouco do que vi se transformar na paisagem

de janeiro até dias mais atuais,

em meio às viagens de trabalho.

Da janela do carro

ou em pequenos intervalos,

vou colhendo um pouco da percepção

que, ao meu ver, sempre traz algo humano,

mesmo que ele não esteja óbvio na imagem.

Às vezes a paisagem humana

está simplesmente no observador fora dela

— esse que, ao vê-la, se emociona,

é impulsionado a refletir e festejar.

Ou mesmo ao desconforto

do que não aparenta estética

própria ao desejo de cada um.

Não busco na minha fotografia

o deleite do espectador,

mas apresentar uma referência

do que me é proporcionado

de aprendizado

sobre a vida.

Vlademir Alexandre