Só vencemos o preconceito quando nos abrimos ao conhecimento. É com essa perspectiva que os fotógrafos Rayssa Aline e Tiago Felipe buscam, através da exposição “(eu) Olho no olho de Negros do Riacho”, mudar a forma como a sociedade enxerga essa comunidade quilombola localizada em Currais Novos (RN). A abertura será nesta segunda-feira (20), Dia Nacional da Consciência Negra, às 19h, na Casa de Cultura do município. Na ocasião, será realizado também o show “Coisa de Preto”, do cantor e compositor curraisnovense Allan Nascimento.

A exposição reúne cerca de 30 fotografias de Rayssa Aline e Tiago Felipe registradas em uma visita que fizeram há três meses na comunidade Negros do Riacho. A princípio, eles foram de forma despretensiosa apenas para conhecer um pouco mais sobre a realidade dessas famílias quilombolas. Mas, logo em seguida, veio a ideia de compartilhar essa experiência como forma de contribuir com a reflexão sobre o preconceito racial presente na sociedade.

“Decidimos fazer a exposição nesse período para dar visibilidade ao dia, ao tema e à comunidade. A Negros do Riacho está afastada da cidade, isolada culturalmente e as pessoas não a conhecem. Ela ainda é, atualmente, uma das comunidades mais pobres do RN e vejo que há muito preconceito. Acredito que quando as pessoas passarem a conhecê-los melhor isso vai mudar. Quando visitei, eles foram muito amáveis e receptivos”, relatou Rayssa.

Durante a abertura da exposição será realizado o show de Allan Nascimento, com músicas autorais e de compositores negros. “As músicas falam de empoderamento negro, denunciam o preconceito e instigam o orgulho negro e a resistência e luta por direito iguais”, explicou o músico.

O nome do show, “Coisa de Preto”, foi pensado devido ao caso de racismo do jornalista William Waack, ex-apresentador do Jornal da Globo, que ganhou grande repercussão recentemente. Em vídeo vazado, ele aparece irritado com uma buzina e diz que aquilo é “coisa de preto”. “É uma resposta a essa afronta”, disse o cantor. “Para mim, lutar, amar, viver, ser admirado, ser artista etc, também é coisa de preto”.

A exposição faz parte da I Semana da Consciência Negra de Currais Novos organizado junto ao coletivo Enegrecer – Coletivo Nacional de Juventude Negra, UMES Currais Novos e grêmio do IF.