NEWTON NAVARRO Bilro (1928-1992) gostava de pintar, desenhar e escrever. Como escritor e como artista plástico, era um apaixonado do mar, do rio Potengi e de Natal, que estão no centro da maior parte de sua obra. Mas Navarro retratou também o sertão, a partir de figuras como o vaqueiro e o cangaceiro, o boi e o cavalo, símbolos da ‘civilização do couro’ e da cultura nela/por ela gerada. Esse fundo documental aumenta a importância do artista, que introduziu em Natal a estética modernista, em exposição polêmica no final da década de 1940. Alguns dos seus trabalhos podem ser vistos na Pinacoteca do Estado, na Cidade Alta.