Por Gabriela Olivar | Fotos: Divulgação/Grupo Carmin

Pensando no teatro como um lugar necessário para fomentar o diálogo, inspirar mudanças sociais e dar voz aos oprimidos, o Grupo Carmin completa uma trajetória de 10 anos de sucesso no RN e no Brasil e lança seu novo espetáculo neste fim de semana. A Invenção do Nordeste, baseado em obra acadêmica do professor e historiador Durval Muniz, conta os aspectos sobretudo culturais que envolvem a formação e emancipação da nossa região.

De acordo com o Grupo Carmin, a peça vai seguir a mesma linha documental de Jacy, mas ao invés de focar na história de uma personagem, será a vez da história política e social do Nordeste. “A Invenção do Nordeste é uma obra fascinante que analisa, a partir de documentos históricos, a formação da região enquanto uma unidade sócio-política”, explicou a companhia. “A pesquisa investiga as razões que levaram a essa construção, focando, inclusive, nas artes que legitimaram e deram forma às ideias vigentes que apoiavam a necessidade de uma ‘criação’ do Nordeste”.

A peça se utiliza de vários elementos cênicos para transportar ao palco todo esse conteúdo, desde música, passando pelo audiovisual até a dança. Para Pablo Capistrano, dramaturgo do espetáculo, o fato de o texto original ser acadêmico e não para o teatro até facilitou a transformação e adaptação. “A gente fica mais livre para criar e acabamos criando uma narrativa dramatúrgica livre, ficcional, também inspirada um pouco nas nossas próprias experiências e impressões do tema”, ressaltou.

Sobre a escolha dos aspectos da obra, que é ampla, a serem destacados no espetáculo, Pablo disse que trabalhou com a história da cultura, navegando por toda a produção cultural, literária, de pintura, cinema, teatro e música. “O livro circula muito em torno do modo como as artes construíram a ideia de Nordeste e nós pinçamos três momentos importantes: a seca de 1877, o Congresso Regionalista e o período do Cinema Novo”.

Fazer teatro no país

Poder celebrar 10 anos de existência já é um fato marcante lembrado pelo Grupo Carmin em sua trajetória. Mas há marcos muito importantes nessa história que jamais serão esquecidos. “A continuidade da vida de Pobres de Marré, nosso primeiro espetáculo, mas que continua no repertório do grupo até hoje”, citou. “A apresentação de Jacy dentro do projeto Palco Giratório no Sesc, que nos permitiu circular por 17 estados brasileiros em 2016”, acrescentou.

Recentemente, a companhia foi indicada em duas categorias para o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), um dos mais importantes para o teatro no país: melhor espetáculo e melhor dramaturgia para Jacy. “Estamos muito felizes e honrados com o reconhecimento que a peça tem tido e esperamos continuar sendo motivo de alegria para a cultura de nossa cidade e estado com muito mais anos de peças e trabalhos, e a estreia de A Invenção do Nordeste é nosso próximo passo adiante”, comemorou o Grupo Carmin.

“Ficamos muito felizes por Jacy ter se tornado algo tão relevante e especial, acreditamos que o sucesso da peça é fruto de muito trabalho, suor e resistência”, afirmou o grupo. Para eles, fazer teatro hoje, não apenas no RN, mas em todo país, tem sido difícil. Há falta de apoio e de políticas públicas que deem suporte às artes e até mesmo falta de interesse do público em ver obras que fujam dos clichês e dos simples escapismos.

“Mas isso não é barreira que nos faz desistir, ao contrário, nos sentimos cada dia mais desafiados a superar as dificuldades e acreditar que o teatro é um lugar de provocar mudanças de mentes e atitudes”, ressaltou. “O Brasil encontra-se em crise, estamos vivendo sob um golpe de estado e sendo liderados por uma elite política que pouco se importa com o povo, com as artes e consequentemente com os artistas”, lamentou o Grupo Carmin. Para eles, o palco é e sempre será um local de resistência.

Apresentação

A Invenção do Nordeste será apresentada na Casa da Ribeira (R. Frei Miguelinho, 52, Ribeira, Natal), de sexta-feira (4) a domingo (6), sempre às 20h. Junto com a estreia e em comemoração aos 10 anos do Grupo Carmin, a Fortunella Casa Editrice lança o livro Década Carmin, que estará sendo vendido ao preço de R$ 20 para quem também comprar o ingresso para o espetáculo.

A peça tem direção de Quitéria Kelly, dramaturgia de Pablo Capistrano e Henrique Fontes, dramaturgia audiovisual e desenho de luz de Pedro Fiuza, direção de arte de Mathieu Duvignaud, trilha sonora de Gabriel Souto e produção executiva de Mariana Hardi. No elenco, se apresentam os atores Henrique Fontes, Mateus Cardoso e Robson Medeiros.

Os ingressos custam R$ 40 inteira e R$ 20 meia e estão sendo vendidos pela internet ou na Casa da Ribeira, entre 13h30 e 17h30. Informações, pelo telefone 3211-7710.