A um ano da eleição, o ex-presidente Lula e a senadora Fátima Bezerra (PT) lideram a intenção de voto para presidente da República e para o governo do RN, conforme pesquisa Certus/98 FM publicada nesta terça-feira (24) pelo jornal Tribuna do Norte. Lula tem 52,18%, contra 11% de Jair Bolsonaro, o segundo colocado. Fátima tem 25,82%, contra 14,3% do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves; 7,18% do governador Robinson Faria; e 2,55% do desembargador Cláudio Santos. Fátima também vence nas simulações de segundo turno: 37,91% x 21,36% Carlos Eduardo e 43,91% x 11,18% Robinson.

A pesquisa registrou altas taxas de reprovação a Michel Temer (92,36%) e Robinson Faria (75,36%). Outro dado significativo é que, na pesquisa espontânea no estado, 42,36% dos entrevistados disseram não votar em nenhum dos quatro nomes apresentados. O índice sobe a 48,04% na região da Grande Natal. O Certus entrevistou 1.100 eleitores de todas as regiões, no período de 14 a 14 de outubro. A margem de erro da pesquisa é de 3% e o intervalo de confiança é de 95%.

O bom desempenho de Lula e de Fátima indica, segundo o deputado estadual Fernando Mineiro (PT-RN), que os eleitores vêem nos dois a melhor alternativa para enfrentar a crise nacional e no estado. “É claro que a pesquisa é um retrato de momento, que mostra um grande contingente de eleitores sem opção definida. Mas os números dessa e de outras pesquisas divulgadas antes mostram que Lula e Fátima se consolidam como a principal opção dos potiguares para resolver os problemas do Brasil e do RN”, afirmou Mineiro.

O RN Que Queremos

O PT-RN lança em Natal, na próxima segunda-feira (30), a plataforma digital “O Brasil Que Queremos”, criada para debater com a população e construir projetos coletivos para o país e os estados. Além de contar com a plataforma digital, o “RN Que Queremos” vai realizar em novembro dez seminários presenciais em cidades-polo de todas as regiões potiguares, com a participação de representantes dos municípios.

“Vamos planejar com a sociedade o RN que queremos, com um programa político e administrativo que enfrente de fato a crise financeira e fiscal do estado, estimule o desenvolvimento sustentável, democratize a gestão invertendo prioridades administrativas e construa políticas públicas eficientes na segurança, na saúde, na educação, na infraestrutura e na área social”, acrescentou Mineiro.

Veja a seguir as tabelas da pesquisa no jornal Tribuna do Norte.