O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) defendeu, na sessão plenária desta terça-feira (10), que os espaços para os ambulantes do Alecrim trabalharem sejam de responsabilidade do poder público e não da iniciativa privada, como quer a Prefeitura de Natal.

O parlamentar participou, na noite desta segunda-feira (9), de assembleia com os camelôs que estão organizados contra a remoção de seus espaços. Ele constatou que os/as trabalhadores/as também querem o reordenamento do centro comercial e bairro do Alecrim.

“Eles defendem a reestruturação, assim como eu, mas querem também sobreviver, manter suas famílias, querem o direito à renda”, destacou Mineiro. “Há famílias que estão ali há décadas”, observou.

O deputado criticou o projeto de remoção e denunciou que o prefeito, que tem esquecido também os outros problemas de Natal, quer rifar o espaço do Alecrim para um grupo de empresários de SP. “O que a iniciativa privada quer com esse projeto de reorganização, que na verdade é a construção de um shopping, é alugar espaços aos ambulantes”, denunciou.

“O que vemos é uma gestão municipal que abre mão de administrar a cidade e sumiu do mapa”, criticou Mineiro. “Os problemas estão se agravando e você não vê um posicionamento do prefeito”.

O petista defendeu que, quanto mais organizado o espaço do Alecrim, melhor para os/as trabalhadores/as e comerciantes. “É preciso entender a importância da economia informal para a nossa cidade”, disse.

Luta de décadas

Há anos, Mineiro tem se debruçado sobre os estudos de reordenamento dos centros comerciais do Alecrim e Cidade Alta, desde os mandatos como vereador de Natal. “As prefeituras sempre fizeram ouvido de mercador para esses projetos, como o do Sebrae, que foi apresentado às administrações anteriores, mas nada aconteceu”, lamentou.

“Quando vereador, intermediei a retirada de ambulantes da Av. Rio Branco”, lembrou o deputado. “Encaminhei projeto, discuti os modelos das bancas, me somei ao movimento das associações e comerciantes”, acrescentou, referindo-se à ação da então prefeita, Wilma de Faria.

Fotos: Vlademir Alexandre