O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) votou contra o aumento de 4,5% para o Ministério Público do Estado (MPE). Ele justificou que se o reajuste fosse apenas para os servidores efetivos, sem incluir os funcionários comissionados, seu voto seria a favor.

O aumento é retroativo ao mês de agosto. Para Mineiro, é um contrassenso votar aumento salarial de outros órgãos quando os servidores públicos do estado estão com salários atrasados há pelo menos dois meses.

Ele voltou a defender que, para superar a crise financeira e colocar em dia os salários dos, é preciso haver uma “pactuação entre os Poderes”.

Mineiro observou que, como a economia potiguar é muito dependente da renda pública, o atraso no pagamento dos servidores termina impactando não a vida do funcionalismo, mas a situação do estado e dos municípios.

Para Mineiro, além da pactuação entre os Poderes, é necessário “cobrar o débito dos grandes devedores do estado e revisar as isenções fiscais concedidas pelo governo”.

“É preciso saber quem se beneficia dessas isenções”, ponderou, acrescentando que defende que o benefício seja destinado aos pequenos e médios empresários.