Figura-símbolo da resistência cultural e política durante a ditadura, morreu nesta quinta-feira (5), aos 81 anos, a atriz e empresária Ruth Escobar. Ela estava internada em São Paulo.

O deputado estadual Fernando Mineiro (PT) lamentou a morte e afirmou que Ruth foi a própria bandeira contra a ditadura. “Apontou o lugar da arte e do teatro em tempos duros”, destacou.

Ruth Escobar nasceu na cidade do Porto, em Portugal, em 1936. Em 1951, mudou-se para o Brasil e passou a morar em São Paulo. Em seguida, foi estudar interpretação em Paris e, quando voltou à capital paulista, montou sua própria companhia teatral, que batizou de Novo Teatro.

Depois, passou a se dedicar ao teatro popular e transformou um ônibus em palco, levando espetáculos à periferia de São Paulo. Em 1964, inaugurou sua própria casa de espetáculos.

Em 1974, a artista criou o 1º Festival Internacional de Teatro, com a ideia de trazer ao Brasil periodicamente o melhor do teatro mundial.

Nos anos 1980, Ruth Escobar afastou-se do teatro, candidatou-se a deputada estadual e foi eleita por duas legislaturas, em que se dedicou a projetos comunitários.

Em 1987 voltou aos palcos e em 1990 também atuou em Relações Perigosas.

*Com informações da Agência Brasil